Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Feito!
Erro!
Texto compartilhe nas redes sociais 2.PNG

Formacao Continuada para Professores e Atendentes da Educacao Infantil

Voltar ↖Seguir ↘
« Última» PrimeiraPublicação:
ImprimirReportar erroTags:imprensa, encontro, teve, tema, diretrizes, curriculares, nacionais e auxiliares260 palavras4 min. para ler
Formacao Continuada para Professores e Atendentes da Educacao Infantil
Clique para ampliar
O município de Trindade do Sul aceitou participar de um Projeto de Assessoramento à Implementação do Proinfância, cuja proposta metodológica implica em alguns movimentos por parte da equipe gestora da Secretaria Municipal e dos representantes por ela indicados, para que possamos dinamizar uma rede formativa a partir  da qual profissionais que atuam em espaços de Educação Infantil implementem práticas cotidianas que atendam aos direitos, necessidades e potencialidades das crianças de até 6 anos de idade.


As professoras Gessy Salete Faé, Dilema Dal santo Bonatti e Rosecler De Carli Paloschi estão recebendo formação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRGS para que possam realizar a qualificação dos profissionais da Educação Infantil da rede municipal de ensino.


Sendo assim foi realizado no dia 03 de setembro de 2013, no turno da noite, uma formação continuada com os professores e auxiliares docentes da educação infantil da rede municipal de ensino.  O encontro teve como tema as Diretrizes Curriculares Nacionais para a educação infantil e a Avaliação na Educação Infantil.



Nas falas procurou-se enfatizar as práticas pedagógicas que compõem a Proposta Curricular da educação Infantil e que estas devem ter como eixos norteadores as interações e o brincar promovendo conhecimentos, interações; possibilitando experiências, vivências e aprendizagens; incentivando a curiosidade, a exploração e o encantamento; ampliando a confiança, as vivências e a participação; criando conceitos e possibilitando a construção da autonomia. A avaliação deve ser entendida como uma prática investigativa e não sentenciva, mediadora e não constatativa, que aponte caminhos para melhor conhecer e acompanhar o desenvolvimento das crianças.


Direitos Autorais Reservados
Assessoria de Imprensa


Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it
 
Texto compartilhar.PNG